Helena Marques (1935-2020)
20 Out 2020



Foi com profunda tristeza que a LeYa e a Dom Quixote receberam a notícia do falecimento, no dia 19 de outubro, da escritora Helena Marques.  Aos seus filhos – particularmente ao nosso colega Francisco Camacho, editor da LeYa e também escritor – netos e bisnetos, endereçamos as mais sentidas condolências. Na Dom Quixote, Helena Marques publicou, entre 1992 e 2010, cinco romances e um livro de contos.

 

De origens madeirenses, Helena Marques nasceu em Carcavelos, em 1935. Jornalista durante trinta e seis anos, iniciou a sua carreira no Diário de Notícias do Funchal e terminou-a no Diário de Notícias de Lisboa, onde foi directora-adjunta (1968-1992). Entretanto, foi redactora de vários outros diários, nomeadamente A Capital, República e A Luta.

 

Publicou o seu primeiro livro, O Último Cais, em 1992. Muito aclamado, recebeu o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, o Prémio Revista Ler/Círculo de Leitores, o Prémio Máxima de Revelação, o Prémio Procópio de Literatura e o Prémio Bordallo de Literatura da Casa da Imprensa. Seguiram-se os romances A Deusa Sentada (1994), Terceiras Pessoas (1998) e Os Íbis Vermelhos da Guiana (2002), e o livro de contos Ilhas Contadas (2007). O Bazar Alemão (2010) é o seu mais recente livro. A sua obra encontra-se traduzida em alemão, italiano, castelhano, grego, romeno e búlgaro.

 

Em 2013 foi-lhe atribuído o Prémio Gazeta de Mérito.

 
Rua Cidade de Córdova, 2 (mapa)
2610 - 038 - Alfragide
Portugal

Telefone: +351 21 427 22 00
Telefone de texto para surdos: +351 21 427 22 73
Fax: +351 21 427 22 01

© 2008 - Leya - Todos os direitos reservados | Política de privacidade | Livro de Reclamações